PROCESSO 

Dez pessoas transgênero foram convidadas pelo artista para falar sobre suas histórias. Com o auxílio de cartas-perguntas, us entrevistades foram estimulades a contar sobre momentos, lembranças e pensamentos, que misturavam de forma aleatória questões sobre identidade  de gênero, memórias da infância, desejos para o futuro e assuntos da vida cotidiana. De forma lúdica e orgânica, cada participante revelou um pouco de seus processos  de (des)identificações com os gêneros homem/mulher, bem como os desdobramentos das trajetórias como  pessoa trans na sociedade brasileira atual. 

As conversas foram conduzidas durante o período da pandemia pelo COVID-19, na qual equipe e entrevistades tomaram todas as medidas de proteção e segurança recomendados. Por esse motivo, a maioria das gravações aconteceu na casa do próprio artista. Esse breve acervo de narrativas sensíveis, foi a base   para  desenvolver a exposição. Ao utilizar as vozes das pessoas trans para comunicar sobre  transgeneridade, busca-se dar visibilidade as maneiras plurais de se identificar como pessoa trans  e as diferentes formas de agenciar essa identidade dissidente, apagada e perseguida no Brasil.  sobre as histórias  compartilhadas. É uma forma de, literalmente, dar voz às obras e permitir que us expectadores as ouçam e sejam afetades por elas.

Após as conversas, o artista debruçou sobre os áudios gravados, num exercício de  escuta empática e reflexão. Inicia-se, então, a criação das peças expositivas, desenhos abstratos, na aplicação de técnicas mistas em papel couchê. As obras refletem as impressões e sensações do artista sobre cada pessoa, individualmente. As narrativas transpassam o fazer artístico, onde cada cor, linha e textura atribui uma nova camada de sentido e sensação. Todo o processo criativo foi gravado. 

Em seguida, artista e designers de som e imagem se uniram para criar obras audiovisuais, que unem as vozes dus muses à imagem criada a partir de seus relatos. Esses curta-metragens ampliam a  experiência estética e poética da exposição, ao colocar em evidência todas as pessoas envolvidas  na criação: artista, muses e designers.  O resultado é  uma experiência audiovisual na qual os desenhos criam camadas visuais sobre as histórias  compartilhadas. É uma forma de, literalmente, dar voz às obras e permitir que us expectadores as ouçam e sejam afetades por elas.